Marca

September 5, 2016

Um longo o caminho a percorrer.

 

Na sequencia de nosso artigo sobre A Construção de uma Marca, vamos tentar delinear brevemente sua trajetória. Dentre os itens que precisam ser analisados para se ter uma marca de efeito duradouro, o primeiro deles é saber exatamente em que consiste o termo. Para Philip Kotler, por exemplo, marca seria “a união de um nome, termo ou símbolo, com o objetivo de identificar produtos ou serviços de um modo diferenciado da sua concorrência”. E, claro, quando o assunto é concorrência, todo esforço em se definir uma identidade corretamente é não apenas válido como necessário.

Seria apenas isso? Obviamente a questão é muito mais complexa. Estuda-se o perfil da empresa, de seu produto ou serviço, a definição de um nome, a contratação de um designer ou publicitário e chega-se a uma possibilidade ou a um conjunto de possibilidades. Escolhida uma delas, a empresa tem, enfim, sua marca. Mas uma marca que, sozinha, nada faz. Ela é apenas a representação gráfica daquilo que se pretendia alcançar em termos de cores, formatos, ideias, mas precisa ser conhecida, reconhecida e, para tanto, divulgada.

Para essa divulgação, novos estudos e profissionais serão envolvidos. Há o chamado gerenciamento de marca que vai precisar descobrir seu melhor canal de comunicação e a linguagem mais adequada para falar com seu público. Simples assim? Claro que não.

Manter-se presente no seu segmento de comunicação é igualmente importante, falar com o seu público alvo também. A comunicação tem de ser eficiente, clara e direcionada. Não é um discurso vazio ou sem propósito. É discurso direcionado a um mercado específico que anuncia e destaca aquilo que se produz.

Os caminhos são múltiplos, cada qual com suas vantagens e desvantagens. O mais importante é lembrar que a construção de uma marca é apenas o primeiro passo. Ela tem um longo caminho a percorrer para chegar ao consumidor, a partir de estratégias de marketing específicas e claramente definidas – o chamado branding – que não se completam, pois precisam ser constantemente renovadas, reavaliadas  para que seus consumidores se mantenham fieis. E a concorrência – sempre ela – feroz e efetiva, presente também nas suas múltiplas formas – determinam que o movimento tem de ser mais e mais criativo, inusitado, inteligente e – a melhor parte disso – verdadeiro.

Consumidores gostam de ser tratados com o devido respeito e encontrar na marca que escolhem exatamente aquilo que procuram. Só assim uma marca atinge um outro patamar – e um novo ciclo de trabalho – que é o da fidelização do cliente.

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

Por que contratar especialistas?

February 14, 2017

1/4
Please reload

Recent Posts

September 5, 2016

August 2, 2016